Banner rotativo

    McLaren: estávamos prontos para criar uma versão B do carro

    A McLaren teria se comprometido a construir uma versão B de seu carro neste ano caso tivesse descoberto os problemas “fundamentais” que atrapalharam o time no começo da temporada.

    0

    A equipe de Woking enfrentou uma temporada decepcionante em 2019, já que não conseguiu obter o progresso que esperava com a mudança para o motor Renault.

    Um problema crônico, o que envolvia muito arrasto, além de inconsistência aerodinâmica durante as curvas, foi o principal problema – mas a equipe só percebeu isso depois das férias de agosto. O presidente executivo e acionista Sheik Mohammed bin Essa Al Khalifa revelou que o problema não dava para ser corrigido sem que houvesse uma mudança de chassi, e a equipe estaria preparada para construir um novo carro se tivesse percebido a situação cedo o suficiente.

    PublicidadePrint

    “Nada teria corrigido”, disse. “E, se tivéssemos descoberto isso em abril, teríamos construído uma versão B do carro. Mas era tarde demais.”

    Quando questionado sobre o momento em que a equipe se deu conta da gravidade do problema, ele disse: “Não foi antes das férias de agosto. No momento em que confirmamos, já era tarde demais.” Apesar de não ter dado tempo de corrigir a situação em 2018, ele afirmou que as lições foram aprendidas para garantir que tal cenário não se repita em 2019.

    “Não sei se queremos revelar o que descobrimos e por quê, mas demos passos, e o desenvolvimento do carro do ano que vem nos ajudou a entender o que deu errado.”

    “Então, estamos confiantes. Sabemos por que não pudemos desenvolver o carro deste ano. Havia um problema fundamental, e acho que já lidamos com ele.” O diretor executivo da McLaren, Zak Brown, disse que, apesar de a equipe não ter obtido progresso visível com seu carro, o entendimento do que deu errado aconteceu rapidamente.

    “Específica e tecnicamente, sabemos o que fizemos de errado”, comentou. “Muito do que foi reportado sobre o desenvolvimento – como que paramos de desenvolver o carro em Barcelona – é totalmente impreciso.”

    “Tivemos várias peças novas no carro até o GP dos Estados Unidos. Algumas dessas peças era para ajudar no atual carro e outras eram para validar aquilo que entendemos que era o problema do carro para que não repitamos estes problemas daqui em diante.”

    Fonte: Motorsport

    Deixe seu comentário

    Favor escrever seu comentário
    Favor colocar seu nome