Tratamento para mudar a voz: funciona mesmo?

    0

    A primeira coisa que você precisa saber é que, sim, existe a possibilidade de se fazer um tratamento vocal para que alguns aspectos de nossa voz sejam alterados. Mas tudo isso deve ser feito de acordo com as possibilidades do seu corpo. Nossa voz é única e, mesmo se quisermos mudá-la, ela continuará única.

    A voz humana é formada pelo fluxo respiratório, a vibração das pregas vocais (comumente chamadas de cordas vocais) e a ressonância e projeção do trato vocal. É a partir da interação harmônica desses três sistemas que a nossa voz funciona. Depois da produção e emissão do som temos, também, a articulação dos sons para a produção da fala. A fala é composta por movimentos muito refinados principalmente de língua e lábios, em que todos esses mecanismos estão integrados – qualquer diferença em um deles já interfere em nossa voz e fala. Portanto, para alterarmos o nosso padrão vocal, é em uma ou mais dessas instâncias que devemos trabalhar.

    Muitas vezes vemos indivíduos insatisfeitos com sua voz por não gostarem de seu som ou timbre, por não se identificarem com ela (ou acharem que ela não faz parte de seu processo de identificação ou não combinar com seu corpo, por exemplo), ou mesmo por terem alterações e lesões nas pregas vocais.

    Esse último caso é o que chamamos de disfonia: uma alteração vocal. Em primeiro lugar, é sempre importante procurar o otorrinolaringologista para ver como estão as pregas vocais. É a partir dessas imagens e vídeos (é sempre importante para nós, fonoaudiólogos, podermos ver as pregas vocais funcionando, não só as fotos ou o laudo médico) que nós saberemos como a voz está sendo produzida. Se estiver tudo bem com o funcionamento, partiremos para um aprimoramento vocal. Caso contrário, primeiro faremos uma terapia para a reabilitação da função vocal e depois entraremos na fase de aprimoramento vocal.

    Por conta de abusos vocais, usos muito prolongados e/ou indevidos da voz, podemos desenvolver as disfonias. Os sintomas mais comuns são a voz rouca, cansada, com sensação da garganta raspando, coçando e seca. Podemos ter alterações vocais por outros motivos também, traumas vocais, cirurgias na região como a tireoidectomia, por conta de refluxo gastroesofágico etc. Nesses casos, além da terapia vocal feita com o fonoaudiólogo, é necessário procurar um médico para diagnóstico adequado e para tratar as outras causas dessa alteração.

    A terapia de voz é feita de maneira individualizada e pessoal, pois cada pessoa tem suas demandas e necessidades. No geral, em dois meses após o início do tratamento, o paciente já deve sentir mudanças em sua voz. O objetivo geral da fonoterapia é recuperar os danos e desgastes provocados na voz, fazendo com que a voz saia clara e sem esforço.

    Além dos casos em que vemos alterações vocais, muitas das demandas que chegam até nós são para aperfeiçoar o que já é bom. A voz, assim como a íris do olho é nossa impressão digital, é única e diz muito a nosso respeito. O nosso perfil pessoal está impresso na voz que produzimos e muitas vezes precisamos descobrir e aprender a usar todos os recursos vocais que temos para adequá-la aos nossos objetivos de expressividade pessoal. Isso serve para aqueles que trabalham com a voz, mas também aos que usam a voz apenas para a comunicação pessoal. A fonoaudiologia pode te ajudar nisso.

    Algumas pessoas, por exemplo, acham sua voz muito grave ou muito aguda, estridente, nasalizada. Alguns chegam para nós querendo deixar a voz mais suave, com um tom mais agradável para si e para os outros. É possível fazer um tratamento específico para cada uma dessas demandas de maneira individualizada, sempre respeitando as potencialidades e limites do corpo, afinal, estaremos trabalhando com uma função que depende de certas estruturas. O trabalho consiste justamente em ir adequando a função que pode ser executada pelo corpo às nossas demandas e necessidades.

    Se você é profissional da voz (professor, cantor, ator, palestrante, comunicador etc.), principalmente, procure um otorrinolaringologista e um fonoaudiólogo; seu instrumento de trabalho precisa estar sempre em forma.

    Por fim, é importante reforçar a necessidade de estar sempre atento à hidratação, ao cuidado com a alimentação e ao sono. Atividades físicas são sempre necessárias e importantes para o desenvolvimento e saúde de todo o corpo, incluindo a voz. Se sentir a voz rouca por 15 dias ou mais, procure tratamento.

    fonte:minhavida

    WhatsApp Image 2017-11-21 at 14.32.36

    Deixe seu comentário

    Favor escrever seu comentário
    Favor colocar seu nome