Banner rotativo

    Saúde confirma febre amarela em dois macacos encontrados em Campo Largo e Balsa Nova

    0

    A Secretaria de Saúde do Governo do Paraná divulgou ontem, dia 13, o novo boletim epidemiológico da Febre Amarela. O documento confirma que dois macacos encontrados nos municípios de Campo Largo e Balsa Nova, estavam com a doença.

    Diante da situação, a Secretaria Municipal de Saúde de Balsa Nova, por meio da Vigilância Ambiental, emitiu uma nota reiterando o caso positivo de Febre Amarela em primata não humano (PNH) – macaco/bugio – encontrado no município. Por meio da nota, a secretaria orienta que a população que ainda não foi vacinada contra a doença deve procurar uma unidade de saúde mais próxima para realizar a vacinação. Quem já tomou a vacina deve manter seu registro (carteirinha) atualizado e disponível para apresentação às autoridades competentes.

    PublicidadePrint

    A secretaria lembra que os macacos não transmitem a febre amarela e que os animais adoecem e morrem da mesma forma que os humanos. Eles são, na verdade, sinalizados da presença do vírus na região. Segundo a secretaria, qualquer animal encontrado morto ou com sinais da doença (animal caído, isolado do bando), deve ser informado à Vigilância Ambiental.

    A secretaria indica ainda que a população evite, neste momento, o acesso desnecessário às áreas de riscos, como matas, florestas, rios, cachoeiras e parques.

    Doença

    Os sintomas de Febre Amarela incluem febre súbita, calafrios, dor de cabeça, dor nas costas e no corpo, náuseas, vômitos, fraqueza e, nos casos mais graves, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco do olho) e até hemorragia.

    Após a picada do mosquito transmissor, os sintomas geralmente iniciam em 3 a 6 dias, podendo levar até 15 dias.

    Em caso de suspeita, procure o serviço de saúde mais próximo da sua residência e não esqueça de informar aos profissionais de saúde (médico, enfermeiro) se teve acesso às áreas de risco.

    Mais informações com a Vigilância Ambiental e Vigilância Epidemiológica pelos telefones: (41) 3636-1683 ou 3636-1714.

    WhatsApp Image 2017-11-21 at 14.32.36

    Deixe seu comentário

    Favor escrever seu comentário
    Favor colocar seu nome