Banner rotativo

Nos Bastidores da Política

0

Haroldo Wöhl

Dia 04 de outubro de 2020. Isto mesmo, falta um ano para a escolha dos prefeitos e vice-prefeitos e os parlamentares das Câmaras Municipais de todos os municípios brasileiros. Pelas novas regras eleitorais será uma eleição diferente das anteriores. No voto majoritário de prefeito pode ocorrer coligação de partidos. Nas eleições proporcionais de vereadores, aparece a grande novidade, a coligação de legendas foi extinta. Assim, cada partido deverá montar uma chapa de vereadores com seus próprios filiados, em número e com regras definidas, pela legislação eleitoral e variando de município para município. Em Campo Largo, a disputa ocorre por onze cadeiras de vereador, assim cada partido poderá lançar 17 (dezessete) candidatos, onde no mínimo de 30% (trinta por cento) das vagas deverão ser preenchidas por mulheres. Os candidatos a prefeito passam a ter uma dura tarefa de concentrar candidatos a vereador nas legendas de sua base eleitoral. Muitos dos 30 (trinta) partidos inscritos, em Campo Largo, não participarão da corrida pelas vagas do legislativo municipal. A Cláusula de Barreira deixará muita gente de fora do processo e nem terão chance de ser suplente. Em Campo Largo, em número redondo, a perspectiva é ter um quociente eleitoral de 6 000 (seis mil votos) e quem fizer menos de 600 (seiscentos) votos sofre o corte direto pela obrigação de atingir o mínimo de 10% (dez por cento) do quociente eleitoral. O número de partidos apoiando um candidato a prefeito será bem menor e isto faz parte da lógica para a campanha eleitoral de 2020. Assim, nos próximos seis meses, o trabalho dos partidos e dos pré-candidatos a prefeito é pela “Caça de Talentos Eleitorais”. Com uma “mira telescópica” todo eleitor é alvo, ainda mais se possui uma projeção de mais de 600 (seiscentos) votos. Aí será convidado a ingressar numa sigla e a principal análise que precisa ser feita é se os filiados candidatos conseguem fazer pelo menos 6 000 (seis mil) votos. O trabalho já começou e a análise está sendo feita e a troca de partido está em marcha e os pré-candidatos, com mandato eletivo, devem aguardar a “Janela de Transferências”, em março de 2020, até seis meses antes da eleição para não perder o mandato. Os pré-candidatos a prefeito entram no jogo nesta formação de chapas.

PublicidadePrint

 

*Os artigos e opiniões publicados são de inteira responsabilidade dos autores, não refletindo necessariamente a opinião dos editores.

WhatsApp Image 2017-11-21 at 14.32.36

Deixe seu comentário

Favor escrever seu comentário
Favor colocar seu nome