Banner rotativo

    Bruno Baptista e Luiz Loepper estão entre os campeões da temporada do Brasileiro de Rally

    Bruno, de 30 anos e natural de Balsa Nova, atua como navegador ao lado do piloto Luiz Loepper, de Curitiba

    0

    O Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade 2019 conheceu no último dia 03, os campões da temporada nas três categorias. E não foi e uma corrida qualquer, foi em nada menos do que no tradicionalíssimo Rally da Graciosa, disputado em Quatro Barras, região metropolitana do PR. Teve também desafio extra para os competidores, pois o Graciosa é a única prova disputada totalmente em asfalto. De especiais clássicas como a “Dom Pedro”, surgiram os vencedores da 35ª edição do Rally paranaense e os campeões de 2019.

    Na categoria RC5, considerada de entrada, título inédito para a dupla paranaense Luiz Loepper, 32 anos, e Bruno Baptista, 30 anos. Eles tiveram uma reação importante na reta final da temporada e com duas vitórias seguidas, conquistaram o título na categoria mais equilibrada da temporada, que chegou a Graciosa com nada menos que cinco duplas ainda com chances de vencer a disputa. “Acredito que a prova do Graciosa foi reflexo do que aconteceu em nossa categoria ao longo do ano. Uma disputa intensa em que qualquer dupla poderia ter sido campeão. Vencer o Brasileiro era um sonho e só nos motiva cada vez mais a competir neste esporte”, completa Loepper. No geral do Rally da Graciosa, Marcos Malucelli/Vinicius Anziliero (Mitsubishi Lancer – 1h14min12) venceram a prova na categoria RC2, Tino Viana/Thiago Osternack (Peugeot 207 – 1h20min12) levaram a melhor na RC4 e na RC5, vitória dos campeões Luiz Gustavo Loepper/Bruno Baptista (Peugeot 206 – 1h17min12).

    PublicidadePrint

    Bruno e Luiz

    Bruno, que é natural de Balsa Nova, atua como navegador ao lado do piloto Luiz Loepper, de Curitiba. Essa foi a segunda temporada deles no rally e, no ano passado, eles conquistaram o vice-campeonato.

    Os dois iniciaram as participações no rally em 2016, quando foram convidados para correr o Rally da Graciosa, o único de asfalto do Brasil. Foi quando começaram a preparar os carros para participar da prova. Foram quase seis meses trabalhando nos carros todas as noites para garantir que tudo daria certo. Na prova, apenas Luiz correu. Para o ano seguinte eles acabaram comprando mais cinco carros Peugeot 205 entre amigos que também se interessaram em correr no Rally. “Novamente, pegamos o carro, desmontamos completamente e construímos o carro inteiro por conta própria. Nesse ano, o Luiz Loepper disputou com o Peugeot 205 a etapa do Rally de Piraquara e o de Balsa Nova com o Peugeot 205”, diz Bruno. No final do ano, novamente no Rally da Graciosa, foi a estreia da dupla Luiz Loepper/Bruno Baptista, andando com um Peugeot 205. “Infelizmente por uma quebra não conseguimos completar a prova, mas ficamos extremamente felizes pelo desempenho nas especiais que conseguimos andar”, diz Bruno.

    Com o intuito de disputar o campeonato por completo, na sequência, optaram por um Peugeot 206, já de Rally na Categoria RC5, devido ao menor custo. Essa é a categoria de entrada no rally de velocidade, que admite carros com motor até 1.6, sendo esses sem preparação de motor, com liberdade apenas para suspensão. “Neste ano a categoria acabou sendo o grande destaque do campeonato, onde tínhamos até a última prova outras quatro duplas com chances de título”, dizem os competidores.

    Leia o que o dois disseram sobre a competição: “a prova é dividida em duas etapas, uma pela manhã e outra pela tarde. Pela manhã, um dos nossos oponentes e grande amigo impôs uma diferença de 11 segundos para nós, faltando apenas dois especiais (especial é como se chama cada “largada” no rally). Tivemos de quebrar a cabeça após isso para entender o que poderíamos fazer. Contamos com a ajuda dos nossos mecânicos e amigos para ajustar um pouco mais ainda o carro, e abusando um pouco mais, conseguimos fazer um tempo espetacular na quarta especial, baixando a diferença entre nós para apenas dois segundos. Estávamos de volta na briga!  Na última especial da manhã, precisávamos a qualquer custo reverter esses 2 segundos para se manter na briga pelo título: felizmente conseguimos  encaixar mais uma excelente passada, impondo mais cinco segundos de diferença, o que nos deixou com saldo de 3.8 segundos e a vitória na etapa da manhã. À tarde, tínhamos mais três especiais e seguimos abrindo: impomos seis segundos na primeira, e mais dez na segunda, num total de 16 segundos para a etapa da tarde, e 19 segundos para a prova, que vale o troféu. Fomos para a última especial com 16 segundos de vantagem. Se não perdêssemos essa vantagem, éramos campeões. Mas nada estava garantido, não poderíamos cometer qualquer erro, e nossos adversários também poderiam baixar. Isso é rally. Felizmente conseguimos novamente uma passada muito boa. Foram 10 minutos aguardando sinal de celular para conseguir descobrir na cronometragem. Foram momentos de tensão, mas finalmente a boa notícia: eles haviam tirado apenas 2 segundos. Éramos Campeões Brasileiros de Rally de Velocidade!”, comentam.

    Patrocínio

    Bruno e Luiz comentam que uma das grandes dificuldades do esporte é a falta de patrocínio. “Com a situação econômica, os investimentos em publicidade e marketing pelas empresas foi reduzido, e o esporte como um todo sente esse impacto. O custo é muito alto para um campeonato tão disputado como esse. Entretanto, acreditamos que nesse próximo ano isso mudará. O esporte a motor, principalmente o rally, é uma grande vitrine”, acrescentam.

    Para continuar no esporte, eles buscam patrocinadores. Empresas interessadas podem entrar em contato diretamente com Luiz Gustavo ou Bruno, via site www.luizloepper.com.br ou redes sociais (@LuizLoepper, @Brunof_baptista).

    WhatsApp Image 2017-11-21 at 14.32.36

    Deixe seu comentário

    Favor escrever seu comentário
    Favor colocar seu nome