Nova bateria para carros elétricos carrega 75% em 5 min

    0

     

    Um dos grandes desafios para a popularização de veículos elétricos é a atual estagnação na evolução da eficiência de baterias — considerando tempo de recarga e capacidade energética. Sob essas condições, empresas tentam adaptar novas técnicas para armazenamento de energia, e a Enevate, empresa sediada na Califórnia, pode ter descoberto uma boa alternativa.

    Ânodos de grafite fazem parte da composição de baterias de íon-lítio há anos. Sendo considerada a opção mais eficiente até o momento, cientistas e pesquisadores buscam substituí-lo por um material com maior capacidade, vida útil prolongada e mais eficiência.

    A solução elaborada pela Enevate consiste em uma malha extremamente fina feita majoritariamente de silício — que se provou consideravelmente superior em autonomia e tempo de recarga. Esse filme poroso de substâncias compostas resulta num aumento de 30% na autonomia de veículos elétricos e reduzindo significativamente no tempo necessário para recarga.

    Representação da estrutura do filme poroso nas duas faces de uma folha de cobre.

    Resumidamente, a capacidade das baterias se resume a quantidade de íons que o ânodo for capaz de reter — quanto mais, melhor. Aproveitando-se desse conceito, o silício é uma opção atraente, já que é capaz de reter 10 vezes mais energia que o grafite. Entretanto, descargas elétricas no material provocam dilatações e contrações drásticas e podem resultar em acidentes graves — além de reduzir significativamente a durabilidade dessas baterias.

    O que a Tesla e outras fabricantes de veículos adotam é a adição de silício ao pó de grafite, minimizando a chance de acidentes e somando um pouco da eficiência do silício às baterias de grafite.

    A Enevate, então, revelou seu filme de silício poroso que cobre diretamente uma folha de cobre. Sem necessitar de silícios de alta qualidade, os ânodos cobertos pela malha são mais baratos que seus equivalentes de grafites e tem capacidades semelhantes. O projeto meticuloso da fabricante californiana permite, inclusive, a recarga de 75% da capacidade total em apenas 5 minutos — sem causar expansão significativa.

    Em combinação com a eficiência, o método de produção desses filmes de silício é rápido e já é capaz de produzir em enorme quantidade, segundo Benjamin Park, CTO da Enevate. Ademais, Park afirma que a companhia já está trabalhando com várias fabricantes de veículos elétricos e pretendem introduzir o produto comercialmente até 2025.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    fonte:tecmundo

    Deixe seu comentário

    Favor escrever seu comentário
    Favor colocar seu nome