Banner rotativo

    Três hospitais de Curitiba e dois da RMC têm 100% de UTIs de covid-19 lotadas

    0

    Três hospitais de Curitiba e dois da região metropolitana estão neste domingo (9) com 100% de ocupação em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinadas aos pacientes adultos com covid-19 pelo SUS. Cruz Vermelha, Clínicas e São Vicente estão lotados e outros centros médicos como Evangélico Mackenzie e Idoso ultrapassam 90% (veja lista abaixo).

    A capital paranaense possui 352 leitos de UTI (mais 430 de enfermaria) pelo SUS, o que representa 88% de ocupação, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Na região metropolitana, o São Lucas Parolin, em Campo Largo, e o Municipal de São José dos Pinhais, estão lotados e sem vagas.

    PublicidadePrint

    O caso mais crítico é no Hospital Cruz Vermelha em Curitiba que não tem vaga na UTI ou enfermaria. No total, são 29 leitos ocupados. Na sequencia, aparece o Hospital das Clínicas, que tem somente 17 vagas disponíveis para enfermaria e 80% de ocupação. Já no São Vicente, são dois leitos livres e 75% de ocupação.

    Em outros hospitais da capital, a ocupação já chega ou supera a 90%. No Evangélico Mackenzie, são 33 vagas com 32 ocupadas (97% de ocupação), no Hospital do Idoso dos 64 leitos exclusivos, 58 estão preenchidos (94%) e no Hospital de Reabilitação, das 52 vagas, 47 estão com pacientes (90%). Ainda nestes hospitais, a enfermaria com maior ocupação é no Idoso, onde não há vagas e chegou a 100%. No Evangélico, 65% está ocupado e 56% no Idoso está preenchido.

    No boletim divulgado no sábado (8), foram confirmados 405 novos casos em Curitiba com 16 mortes. No total, são 23.626 casos com 691 óbitos provocados pelo novo coronavírus.

    Variação normal

    Esta variação de ocupação e liberação de leitos é considerada normal pelas autoridades de saúde. O médico Vinícius Filipak, diretor de Gestão em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), explica que a requisição de leitos em qualquer município depende de vários acontecimentosfatores, como por exemplo, um grave acidente como aconteceu no domingo passado (02), na BR-277, quando várias pessoas sofreram algum tipo de ferimento e precisaram de atendimento hospitalar.

    “Todo internamento hospitalar pode evoluir para uma alta ou infelizmente, a pessoa pode ir a óbito. Não existe de fato uma padronização, pois cada paciente tem seu tempo de recuperação. Não depende da gestão do hospital e sim dessa variação no quadro clínico da pessoa. Vale ressaltar que isto não ocorre somente agora com o novo coronavírus. Se acontecer um grave acidente na cidade, os leitos de UTIs podem ser requisitados e aí aumentar a ocupação nos hospitais”, disse Vinícius Filipak.

    Ocupação outros Hospitais em Curitiba, litoral e região metropolitana

    Erasto Gaertner: 10 leitos de UTI com 3 ocupados (30%). Enfermaria com 30 vagas e 9 ocupadas (30%)

    Hospital Santa Casa: 65 vagas de UTI com 57 ocupados (88%). Enfermaria com 70 vagas e 57 ocupados (81%)

    Hospital do Trabalhador: 22 vagas de UTI com 19 ocupados (86%). Enfermaria com 34 vagas e 17 ocupados (50%).

    Hospital Regional do Litoral: 20 leitos de UTI com 13 ocupados (65%). Enfermaria sem vaga.

    Hospital do Rocio em Campo Largo: 125 leitos de UTI com 114 ocupados (91%). Enfermaria com 212 leitos com 100 ocupados (47%).

    Hospital São Lucas Parolin em Campo Largo: sem vagas na UTI e enfermaria.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    fonte:tribuna pr 

    WhatsApp Image 2017-11-21 at 14.32.36

    Deixe seu comentário

    Favor escrever seu comentário
    Favor colocar seu nome